2006-03-29

escolha

agora, mais do que nunca, a humanidade está numa encruzilhada.
um caminho leva-nos ao desespero e à desesperança, o outro à destruição total.
rezo para que tenhamos o bom senso de escolher o caminho correcto.

woody allen

2006-03-27

gli gli


ou a primavera no quintal

2006-03-23

o mundo ao contrário


se

os

peixes

voassem

talvez

os

pássaros

nadassem

2006-03-21

há palavras que nos beijam


há palavras que nos beijam
como se tivessem boca,
palavras de amor, de esperança,
de imenso amor, de esperança louca.

palavras nuas que beijas
quando a noite perde o rosto,
palavras que se recusam

aos muros do teu desgosto.

de repente coloridas
entre palavras sem cor,
esperadas, inesperadas
como a poesia ou o amor.

(o nome de quem se ama
letra a letra revelado
no mármore distraído,
no papel abandonado)

palavras que nos transportam
aonde a noite é mais forte,
ao silêncio dos amantes
abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neill

2006-03-20

o medo vai ter tudo

- Sabes que o vírus da gripe das aves foi descoberto há 9 anos no Vietnam?

- Sabes que desde então morreram apenas 100 pessoas?

***EM TODO O MUNDO EM TODOS ESTES ANOS***

- Sabes que foram os norte-americanos que alertaram sobre a eficácia do TAMIFLU (anti-viral humano) como preventivo?

- Sabes que o TAMIFLU apenas alivia alguns sintomas da gripe comum?

- Sabes que a sua eficácia ante a gripe comum é questionada por grande parte da comunidade científica?

- Sabes que ante um SUPOSTO vírus mutante como o H5N1 o TAMIFLU apenas aliviará a doença?

- Sabes que a gripe das aves até à data só afecta as aves?

- Sabes quem comercializa o TAMIFLU?

***LABORATORIOS ROCHE***

- Sabes a quem comprou a ROCHE a patente do TAMIFLU em 1996?

***GILEAD SCIENCES INC.***

- Sabes quem era o presidente da GILEAD SCIENCES INC e ainda hoje o principal accionista?

***DONALD RUMSFELD***, actual secretário da defesa dos EUA.

- Sabes que a base do TAMIFLU é o anis estrelado?

- Sabes quem ficou com 90% da produção mundial desta árvore?

***ROCHE***

- Sabes que as vendas do TAMIFLU passaram de 254 milhões em 2004 para mais de 1000 milhões em 2005?

- Sabes quantos milhões mais pode ganhar a ROCHE nos próximos meses se este negócio do medo continuar?


Excerto do número 81 da revista DSALUD

por José Antonio Campoy

2006-03-17

mudanças

também não era por isso que ia deixar de lá ir, afinal sempre era um sítio bonito, confortável e com cheiro a canela. desarrumou-se um pouco, vestiu o casaco, enfiou-se no carro, meteu a primeira, meteu a segunda, meteu a terceira, meteu a quarta mas não chegou a meter a quinta pois teve de reduzir para terceira, depois para segunda, acabando mesmo por parar. deixou-se ficar ali algum tempo.

2006-03-09

à procura de Lady

...Ribeira da Torre é um vale verde, luxuriante até, onde a água corre pelas montanhas e se perde sem destino. Papaias, mangas, bananas, abacates, fruta pão, cana de açúcar, milho, não há um centímetro de terra desocupado. Começámos a viagem éramos apenas 3 passageiros, nós e o Carlos. Na primeira paragem vimos um alambique onde fazem o grogue e conhecemos o tio do Carlos que o fabrica. Ficámos 4. Na segunda paragem perguntámos pela filha do António e gerou-se uma confusão para saber quem era primo e quem era irmão de quem, acabámos por saber que não era ali mas um pouco mais acima. Já éramos 7, pois entrou o Januário e a filha e o Sr. Pedro mais bêbedo que um cacho. Lá seguimos para Xoxo. Caminho de cabras, a carrinha toda desconjuntada, o cheiro forte, o vale luxuriante. Chegámos e depois de uns gritos em criolo trocados pelo Carlos e pelo Januário com o Benvindo (irmão do António) percebemos que estávamos no sítio certo. A Lady (assim se chama a filha mais velha do António) estava ali. Subimos umas escadas e chegámos à casa. Apenas uma divisão com telhado de colmo e chão de terra batida. Explicámos ao que vínhamos e rapidamente levaram a pequenita para dentro para a alindarem para a fotografia. Enquanto a preparavam, a mulher e filhas do Benvindo, este mostrava-nos, com grande orgulho, o vale. O Sr. Pedro sempre avisado pelo Carlos para não se exceder lá ía contando umas histórias e cantando umas mornas. A mulher do Benvindo foi apanhar umas mangas, o motorista e o Januário desapareceram por instantes e reapareceram com uma garrafa de grogue. A Lady estava pronta para a fotografia. O Benvindo perguntou: - É para levar a menina para Lisboa? - como isto foi em criolo não percebemos de imediato. O Carlos traduziu. - Não, não é - apressámo-nos a dizer – é apenas para tirar uma foto à menina para depois enviar aos pais para que a possam ver. Tirámos fotografias a toda a família e aos amigos. Ofereceram-nos abacates e uma garrafa de grogue. Na hora das despedidas o Benvindo volta a lembrar que se quisermos podemos levar a menina...

29 de julho de 1997, terça-feira, Ribeira da Torre, ilha de Sto. Antão, Cabo Verde

2006-03-08

calhau 1997

...ali estávamos calmamente quando apareceu o António. - sou o guarda - disse-nos - tenho 22 casas para guardar, tenho um barco com motor e com vela e apanho lagosta, ali em frente (Sta. Lúzia, a 10ª ilha de Cabo-Verde, não habitada) é onde se apanham mais. se quiserem levo-vos lá, lá tem boas praias. - como recusámos o convite, convidou-nos então a tomar banho numa piscina de uma casa à sua guarda. estava cheia com água do mar. (...) o António é casado e tem duas filhas e um filho. por razões monetárias a filha mais velha (Lady) está em Sto. Antão, sua ilha natal, em casa do seu irmão. convidou-nos a visitar a sua casa e a conhecer a família. (...) a casa é em cimento tosco uns metros distante dali. chão de terra, um cheiro intenso, mistura de gasóleo (do motor do barco) e de 4 pessoas a viverem no mesmo espaço sem água, sem luz, sem esgotos. as crianças semi-nuas brincavam na terra. disseram-nos que esperássemos um pouco para que se pudessem vestir para tirar umas fotografias. esperámos que vestissem as suas melhores roupas. Jessica, a filha, sempre receosa e a chorar lá deixou que a mãe a vestisse. o filho ainda não tem nome (o António nem se lembrava muito bem qual o nome que lhe vão pôr quando tiverem dinheiro para o baptizar)e já tem um ano e qualquer coisa. Adérito há-de ser o seu nome quando o dinheiro o permitir. Fomos tirar as fotografias e a mãe (Alexandrina) raramente levantou os olhos...

26 de julho de 1997, sábado, sítio do Calhau, ilha de S. Vicente, Cabo Verde

2006-03-06

produtividade

a e b trabalham em uma.
a é chefe de b.
duas presta serviços, entre outros, a uma.
c trabalha para duas.
a telefona a c:
a - blá blá blá no dia 24?
c - não, nesse dia é impossível, terão mesmo que escolher outro.
a - e 5x4=25?
c - 5x4=20, como lhe mandei por email, não leu?
a - não, não recebi nada, não se importa de me enviar por fax?
c - com certeza.
a - amanhã sem falta volto a ligar-lhe.
3 semanas depois b telefona a c.
b - é da duas? aqui b da uma, estou a falar com...?
c - muito bom dia, aqui é c da duas. muito prazer.
b - blá blá blá no dia 24?
c - não, nesse dia não é mesmo possível como já tinha dito ao seu colega a.
b - e 5x4=25?
c - 5x4=20. mandei-vos um email e um fax com isso tudo.
b - ok, nesse caso vou falar com a e voltarei a ligar amanhã.

2006-03-05

2006-03-03

ryqatshm


estremeceu um pouco...
- ryqatshm...
o que raio queriam dizer estas letras?
...
e no entanto tinha certeza de que um significado lhes podia ser atribuído.

2006-03-02

afazeres

dentro de momentos serão horas.
todos os dias, uns nos outros, sempre são horas.
queria acabar aquilo para que depois pudesse calmamente não fazer nada.
enquanto não fazia nada lembrou-se que ainda lhe faltava qualquer coisa.
levantou-se e dirigiu-se ao micro-ondas.